No tempo em que eu queria ser escritora

Image

Na infância quis ser muita coisa: cantora, professora, bailarina, dramaturga, escritora, arquiteta, dançarina da Daniela Mercury (pasmem \o/), jornalista, advogada, publicitária, atriz…

Consegui ser as opções #2 e #8. E acho que já posso me chamar pretensiosamente de escritora. Continuar lendo “No tempo em que eu queria ser escritora”

No tempo em que eu era realidade

Eu sei. Parece um título muito filosófico-metafísico. E é mesmo. Com a adição de um pouco de lirismo, por que sem poesia eu não seria eu.
Então…
Para começar a ficção sempre fez parte da minha vida.
Leitura, desenho, divagações já na infância… Um mundo só meu onde eu podia me esconder das agruras da vida real. Da vida como ela é. Já dizia Nelson Rodrigues. Continuar lendo “No tempo em que eu era realidade”